Sábado, 22 de Setembro de 2007

AS PAULITEIRAS - ORIGENS

AS PAULITEIRAS - PALOTEO - DANÇA DOS PAUS

 

No seguimento do que escrevi no post anterior venho hoje escrever o que prometi.

 

               

A páginas 461 e 462 do « Cancioneiro Tradicional e Danças Populares Mirandesas » 1º. Volume, 1984 – escreve António Maria Mourinho:

- Em 1953, o saudoso amigo, falecido há pouco tempo e distinto folclorista e musicólogo espanhol, Dr. Manuel Garcia Matos que foi creio que até à morte director do Instituto de Musicologia, adstrito ao Instituto Superior de Investigaciones Científicas de Espanha, disse-me em Madrid, que era muito difícil estabelecer definitivamente a origem desta dança, advertindo-me no entanto que ela seria, no início, «uma dança de fertilidade». (Ainda hoje, nas nossas festas e nas de Espanha, é uma dança das Festas das Colheitas e a contribuição para as mesmas festas é dada em géneros: cereal e vinho).

O Dr. Garcia Matos, em « Lírica Popular de Alta Estremadura, (folk-lore musical, coreográfico e costumbrista)» de 430 páginas, com 436 documentos musicais inéditos, várias lâminas em foto-gravuras, muitos desenhos e gráficos diversos, faz, entre outras coisas, uma análise muito cuidada desta dança (danza de palos), em toda a sua manifestação.

Diz que ela teria a sua origem na dança dos Curetes e Curibantes da Tartésia, dançada por homens em trajo militar e também por mulheres1, ao som do aulo  (o aulo do grego aulós, era a flauta de dois tubos, ou melhor,  de tubo duplo entre os gregos)  e que nasceu com o carácter religioso que ainda hoje mantém. –

 

                

                           Pauliteiras de Bemposta

A página 458, do Cancioneiro já citado, António Maria Mourinho, em nota de  rodapé dá-nos ainda esta indicação:

Em 1949, vimos em Madrid um grupo feminino de Villares de la Reina, perto de Salamanca, composto de raparigas belissimamente vestidas de charras (camponesas salamantinas), de saias e jaqués e aventais profusa e ricamente bordados de vidrilhos e lantejoulas com penteados muito belos e curiosísimos e o pescoço e o peito adornados de grandes cordões de cordas filigranadas e douradas.

 

                

                   Grupo Folclórico de Aires de Madrigal

Em Maio de 1957, encontramo-las de novo em Madrid, no mesmo grupo,  e vimos mais um grupo de Valladolid, composto de raparigas vestindo trajos muito brancos guarnecidos de rendas à maneira de túnicas, com banda de seda colorida a tiracolo, tudo parecendo restauração recente. Dançavam uma mourisca MUITO ESPECTACULAR com muita destreza e graça.

Também nós vimos vários grupos de raparigas, quer em Espanha, quer em Portugal. Sendo de realçar os grupos de Bemposta e de Valcerto, além do nosso lindo grupo de Miranda.

 

               

                             Pauliteiras de Valcerto

 

sinto-me: calmo
música: silêncio
publicado por mirandum às 11:54
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

mais sobre mim

pesquisar

 

Agosto 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
28
29
30
31


posts recentes

AS PAULITEIRAS - ORIGENS

arquivos

Agosto 2012

Julho 2011

Outubro 2009

Junho 2009

Maio 2009

Maio 2008

Abril 2008

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

tags

albardeiro

almendra

aranda do douro

bino

cultura

duas igrejas

facundo_cabral

folclore

fonte aldeia

jose luis almendra

lhaços

maio

miranda

miranda do douro

mirandes

mogadouro

oficios

palaçoulo

paloteo

pauliteiras

pauliteiras"

pauliteiros

provérbios

sendim

valcerto

todas as tags

links

contadores de visitas

coches ocasionhoteles nicaraguaterrenosClasificados GratisClasificados Gratis

estatisticas web

Estatisticas de visitas web gratis www.mirandum.blogs.sapo.pt
Ofertas de empleoSubastasAuctionsClasificadosGuía webCoches
Estou no Blog.com.pt
blogs SAPO

subscrever feeds